Tratamentos estéticos para emagrecer

Balança pedindo HELP!

A beleza sempre foi uma das preocupações do ser humano e especialmente do público feminino. Hoje, a história não é diferente e as mulheres ainda vivem a procura de tratamentos capazes de minimizar as imperfeições e deixá-las com um visual mais atraente.

Geralmente, o peso é o principal obstáculo a ser superado. Para reduzir as medidas, algumas pacientes se submetem aos mais variados tipos de intervenção cirúrgica. Com o avanço da medicina obtido nas últimas décadas, cresceu o número de procedimentos estéticos e, consequentemente, o numero de pessoas que os buscam.

No que se refere ao emagrecimento, podemos listar vários métodos que estão fazendo sucesso no mercado. Entretanto, apesar deste crescimento e do aprimoramento das técnicas que envolvem a operação, a busca por tratamentos cirúrgicos deve ser feita de forma criteriosa. O ideal é pesquisar bem todas as  alternativas antes de tomar qualquer decisão.

  • Tratamentos estéticos com eletrodos
  • Tratamentos para gordura localizada 

Tratamentos estéticos para emagrecer1Lipoescultura

Ela é indicada nos casos em que a gordura não pode ser eliminada por meios “naturais”, ou seja, através de dietas e da prática de exercícios físicos. A lipoescultura, além de proporcionar a redução do volume das regiões com excesso de gordura, corrige imperfeições de outras áreas. Para isso, o cirurgião injeta a gordura que foi removida na parte em que se deseja conferir melhores contornos.

Os especialistas afirmam que a probabilidade de rejeição é praticamente nula. Entretanto, eles também explicam que é necessário introduzir mais gordura do que o organismo realmente precisa, já que apenas 50% (no máximo) do que foi injetado é reabsorvido.

Depois da cirurgia, o paciente não deve massagear a região que recebeu o tratamento e precisa usar uma cinta elástica nos primeiros 45 dias. É importante lembrar também que os resultados da operação só vão ficar mais evidentes após seis meses.

Lipoaspiração

A principal diferença entre a lipoaspiração e a lipoescultura é que a primeira não injeta novamente no organismo a gordura retirada. Entretanto, os cuidados que devem ser tomados nas duas cirurgias são praticamente os mesmos.

É necessário que nos 40 dias que antecedem a operação o paciente não faça uso de bebidas alcoólicas e de cigarro, tenha uma alimentação balanceada e não apresente quadros de anemia ou infecções. Além disso, os especialistas lembram que a lipo só é indicada nos casos em que o volume de gordura a ser retirado não é muito grande, do contrário, o paciente corre o risco de ter algumas complicações.

Devem acompanhar o procedimento um programa de condicionamento físico com o propósito de trabalhar a musculatura para a operação e visitas ao dermatologista. Já no pós operatório, o paciente precisa evitar a exposição ao sol e recorrer a técnicas que possam acelerar o seu restabelecimento, como a drenagem linfática.

Oligoterapia

Apesar de ser um tratamento relativamente velho, a oligoterapia, criada há 20 anos pelo médico francês Jacques Menétrier, objetiva o equilíbrio das carências do organismo. Após uma longa avaliação diagnóstica, o médico define quais são os minerais que estão em falta no seu corpo. Feito isso, ele parte para a etapa chamada de desintoxicação, onde ocorre a redução das medidas. Esta acompanha o uso de medicamentos ricos dos oligoelementos (enxofre, fósforo, manganês, entre outros) que seu organismo necessita.

Considerado um método natural, a oligoterapia estimula algumas funções, como a drenagem de líquidos, a quebra de gordura e o fluxo de sangue, consideradas fundamentais para combater problemas estéticos, incluindo a gordura localizada e a celulite

Publicado por Fabio
Revisado em 08/09/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentar