Filosofia do budismo

Buda não é considerado um deus. Portanto, seus seguidores podem frequentar uma segunda religião e não somente o budismo.

BUDISMO

O budismo foi criado por Sidarta Gautama.

O budismo é uma religião e filosofia não-teísta, a qual abrange uma variedade de tradições, práticas e crenças, baseadas nos ensinamentos atribuídos a Siddhartha Gautama, mais conhecido como Buda. Ele viveu e desenvolveu seus ensinamentos no nordeste do subcontinente indiano, entre os séculos VI e IV a.C.

Para ser budista não é preciso raspar o cabelo, nem usar mantos, nem deixar de comer certos alimentos, nem ficar de joelhos, nem praticar celibato ou qualquer coisa do tipo. Para ser budista não há restrições senão o próprio desejo sincero do coração.

Ao longo do artigo disponibilizaremos mais informações sobre o budismo e a filosofia da religião.

Surgimento do budismo

BUDISMO

O budismo não é somente uma religião, mas também um sistema filosófico e ético, o qual se originou na Índia. Buda é considerado pelos seguidores da religião um guia espiritual e não um deus, o que permite que os seguidores frequentem outras religiões e não apenas o budismo.

Informações sobre a filosofia do budismo

A filosofia do budismo se baseia em verdades: a existência está relacionada à dor, a origem da dor são os desejos materiais e a falta de conhecimentos. Portanto, para suportar a dor é necessário livrar-se da dor e da ignorância.

O homem possui oito caminhos a percorrer para livrar-se da dor: compreensão correta, pensamento correto, palavra, ação, modo de vida, esforço, atenção e meditação. De todos os caminhos apresentados, a meditação é considerada a mais importante.

A filosofia budista também se baseia em cinco comportamentos morais: não maltratar os seres vivos, pois eles são reencarnações do espírito, ter conduta sexual respeitosa, não roubar, não caluniar ou difamar, não mentir,evitar o uso de drogas ou estimulantes.

06/09/12 por Lucimara

   



Mais informações por email

Comentar